Em 24 de maio de 2022 apresentei para o alunado do IES A Basella (Vila Nova da Arousa) a história da guitarra na Galiza, desde o século XII e centrando-me na comarca da Arousa nos séculos mais recentes. Ajudou-me o guitarrista vilagarciano Jose Luis Sanz Acosta. A acolhida foi excelente e o público, entregado. Obrigada e continuamos!

 

 

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e texto

 

No passado 35º Colóquio da Lusofonia, realizado em abril em Belmonte e organizado pela Associação Coloquios da Lusofonia AICL, interpretando o Prelúdio do guitarrista, compositor e barbeiro ourensano Gutiérrez Parada. Na mesa, as partituras editadas pela Margarita Viso (2022), o livro publicado pela Através Editora (2021), o disco gravado e editado pela Air Classical de José Manuel Dapena (2021) e o gravado na Madeira (2014) graças ao Paulo Esteireiro.

https://www.facebook.com/isabel.reisamartim/videos/2950094928624925 

 

Vídeo da palestra-concerto realizada o 23 de março de 2022 no Auditório do Conservatório Profissional de Música de Santiago de Compostela.

 

A Negra Sombra é uma canção para voz e piano do imortal compositor galego João Montes Capom (Lugo, 1840-1899), publicada em 1892 e arranjada numerosas vezes para vários instrumentos. A letra é um poema do livro Folhas Novas (1880) da fundadora da literatura galega moderna, Rosália Castro de Murguia (Compostela, 1837 - Padrão, 1885). O guitarrista e médico em Cangas, Luís Eugénio Santos Sequeiros (Caraminhal, 1909 - Cangas, 2012) realizou este arranjo para o quarteto de plectro que ele mesmo fundou na década de 1980, formado também por os irmãos Barreiro e Ángel Calvar. O recital em que foi gravada esta versão do arranjo de Santos Sequeiros era uma homenagem à Banda de Música "Belas Artes" de Cangas. O áudio e as imagens são propriedade da família Santos-Castroviejo.

 

 

Em 30 de julho de 2021 tive a honra de participar na série de entrevistas coordenada pela pianista brasileira Andréa Luisa Teixeira, dentro do projeto intitulado O piano e suas perspectivas, da Universidade Federal de Goiás.

 

O programa Zigzag Diario da TVG dedicou-lhe uns minutos à música galega para guitarra. Avelina e Marcial Valladares soam na sua casa de Vilancosta (Berres, Estrada). Aparecem imagens das guitarras e guitarristas. E o livro publicado pela Através Editora.

 

 

 

Dentro do Festival Lusófono 'Traz outro amigo também' organizado pelo Concelho de Cedeira (Galiza), o dia 8 de maio de 2021 realizei um concerto-colóquio sobre a Guitarra na Galiza. Alicia Freire Vera, autora e diretora de cinema, filha do grande guitarrista cedeirês Ricardo Freire Blanco, realizou este resumo da sessão onde se ouvem fragmentos das obras de L. E. Santos Sequeiros, Ramón Gutiérrez Parada, J. Parga Bahamonde, e M. H. Iglesias Vázquez.

 

 

Na quinta-feira passada a Rádio Exterior da Espanha, na sua emissão em português, dedicou uns minutos ao meu trabalho A guitarra na Galiza. Soa também uma parte da obra para guitarra de Fernando Corrêa de Oliveira (1921-2004), de quem este ano se comemora o centenário do nascimento. Quanto à profissionalização d@s músic@s, apesar de que a reivindicação dos centros de ensino musical é necessária, faz falta um regulamento profissional das atividades artísticas, através dum estatuto do artista e outras medidas urgentes.