Foi um prazer, nesta manhã soleada de sábado, apresentar a guitarra galega num entorno de renovação da educação com senso pedagógico, respeito linguístico e contexto de país. A pandemia não é tudo.
As Escolas da #Semente são um projeto inclusivo de educação e coeducação em galego para crianças que na atualidade conta com 140 estudantes, 13 professor@s e 500 associad@s, com presença em várias cidades da Galiza. Escolas em galego na era do ensino em castelhano.
A Ikastole Elkartean é uma associação de Ikastolas, ou escolas de ensino basco, de mais de 35 anos de existência com 111 centros, quase 60 mil estudantes e 4.500 professor@s, com uma dilatada experiência no ensino não lucrativo, popular, auto-gerido e laico.
Hoje ambas as associações quiseram reforçar a sua colaboração com um manifesto que reconhece acertos na nova lei da Educação, mas também assinala as suas fraquezas, que se resumem na ausência de intervenção autonómica e local na elaboração dos currículos educativos e na falta de soberania para implementar um ensino harmónico com a realidade da Galiza e de Euskal Herria.
No fim do ato, a intervenção musical prolongou o próprio evento, pois a guitarra galega também aspira a ter mais espaço nos programas atuais dos conservatórios.
Toquei obras escolhidas do Fundo Valladares, de R. Gutiérrez Parada e a série de quatro moinheiras pertencentes a diversos fundos guitarrísticos galegos.