Acaba de sair o último número da revista Diacrítica, da Universidade do Minho, onde tive o prazer de lecionar no primeiro semestre deste ano 2020/2021. O artigo intitulado FERNANDO CORRÊA DE OLIVEIRA E A MÚSICA MEDIEVAL GALEGO-PORTUGUESA sai no centenário do nascimento do compositor português, e amigo da Galiza, Fernando Corrêa de Oliveira (Porto, 1921-2004).

LER ARTIGO AQUI

 

 

Dia 3 de agosto de 2021, às 18h30 decorreu a apresentação conjunta entre E continuaremos a contar da contadora de contos galega Paula Carballeira e o Guitarra galega. Breve história da viola (violão) na Galiza.

https://www.atraves-editora.com/produto/guitarra-galega/

     

     

 

 

https://www.atraves-editora.com/produto/guitarra-galega/ 

Não é apenas da história da guitarra na Galiza que este volume trata: ao longo do seu texto, Isabel Rei Samartim vai propondo diferentes perspetivas de abordar tanto o(s) instrumento(s) e seu trajeto em termos organológicos, como também outras his/estórias que lhe estão ligadas: intérpretes, compositoras/es, acervos, escolas, eventos, ou mesmo identidades sociais e locais que se foram associando a esta teia complexa desde o século XII até ao século XX. (Do prólogo da Helena Marinho)

 

O crítico musical Julián Carrillo Sanz publica no seu blog Lineas adicionales um conto inspirado no concerto realizado em Chantada (Lugo) em sábado, 24 de julho de 2010 em que inclui obras do Fundo Valladares, Pixinguinha, Gismonti e Villa-Lobos, A. York e música popular irlandesa e galega.

ALLENDE LAS MARES